quarta-feira, 11 de maio de 2011

Nos acostumando!!!

Todos os dias, faço a mesma coisa, saio de casa às11:40h, vou
até a rodoviária, entro no ônibus que sai da rodoviária às
12h, faço o mesmo caminho sempre, na BR 116, paro na pista
em Registro, vou andando até a faculdade, são 20min, chego e
começo a trabalhar. É incrível como conseguimos fazer a
mesma coisa todos os dias, e até mesmo sem pensar.

Mas hoje, sentado na minha frente, no ônibus, tinha um
garotinho lindo, que deve ter seus 3 anos de idade, com sua
mãe. Ele sentou no lado do corredor, até que o ônibus
começou a andar, e o mais rápido possível pediu para sua mãe
deixar que ele sentasse na janela.
Durante todo o trajeto, aquele garotinho ficava
maravilhado com tudo o que via:

- Olha o caminhão mãe! Olha o rio! Que rio mais sujo! Tinha
uma menininha no carro mãe! Olha o boi! Não, motorista, não
deixa ele passar da gente!

O garoto me chamou a atenção, tanto que guardei o caderno,
no qual estava estudando para a prova, e comecei a observá-lo.
Eu olhava para o garoto tão entusiasmado com todas as
coisas novas que estava vendo, e fica entusiasmada também,
queria olhar tudo, para onde ele apontava, meus olhos se direcionavam.

Mas o restante das pessoas que estavam no ônibus,
continuavam com os olhos fixos no nada, indiferentes, talvez
pensando em seus problemas, ou o que teriam que fazer quando
chegassem ao seu destino, ou muitos até estavam
admirando o garoto, mas não transpareciam. Até mesmo a mãe
do garoto, pouco olhava para aquele momento tão lindo dele.

Me coloquei a pensar! Nós nos acostumamos com as coisas! Nos
acostumamos com o sol, com a chuva, com o frio, com o
calor, com o vento, com as flores, com as àrvores, com o
sorriso das pessoas, com os olhares, com os carinhos, com os
gestos. Tudo passa a ser normal na nossa vida. Quando as
coisas deixam de ser novas elas viram rotineiras e acabam
desmerecendo nossa atenção.

Para aquele garoto tudo era tão novo. Mas será que na volta
ele agiria da mesma forma? Talvez se ele sentasse no mesmo
lugar, na volta ele estaria visualizando o outro lado da
pista, e novas coisas veria. Mas se sentasse do outro lado,
seria tudo a mesma coisa. E o entusiasmo poderia não existir.

Nos acostumamos com nossa vida de "religiosos", acostumamos
a ir na Igreja nos cultos de doutrina, de oração, nos fins
de semana. Nos acostumamos a cantar os mesmos hinos, a usar
as mesmas palavras nas orações...

Nossa vida precisa ser como de uma criança, onde tudo é
novo!! Ou então não veremos mais a beleza de viver, e
ficaremos mudando de posição em posição, sem nunca
encontrarmos o que procuramos.

Se você se sente assim, acostumado com vida, sente na
janela, peça para Deus te fazer voltar alguns metros atrás,
e você vai ver, que pelo caminho que passou, tinham coisas
maravilhosas, que você não viu, porque estava olhando para o nada.


Deus te abençõe!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário